Já pensou em vestir a sua casa?

Atualizado: 21 de out. de 2021

Por Giseli Koraicho, da Infinity Spaces

A decoração da casa sempre reflete a personalidade de uma pessoa ou família. Esse é um ponto que move o nosso trabalho aqui no escritório!

E quando falamos em “vestir” a casa, nos referimos aos tecidos que escolhemos para o décor dos ambientes, levando em consideração as diversas combinações de cores, estampas e texturas.

Em uma residência, igualmente sabemos que a sala de estar é o cartão de visita, pois o prazer dos moradores em receber amigos e familiares vem acompanhado da autoconfiança de proporcionar um ambiente receptivo, aconchegante e com muita identidade.

Não tem sensação melhor, não é mesmo?

Com tudo isso, conto aqui para você algumas dicas para compor os tecidos com muita harmonia e coerência.



Por onde começar?

É certo que essa dúvida vai surgir: como iniciar esse processo de escolha? Nossa indicação é começar a partir da definição de cores das peças maiores – aquelas que protagonizam e que não serão trocadas com tanta frequência, como o sofá e as poltronas. Em seguida, é o momento de escolher os itens complementares, como as almofadas, cortinas, tapetes e mantas.

Se você optar por um tecido de cor mais neutra para o sofá, terá a liberdade de brincar com acessórios menores, de tons mais vivos e que podem ser trocados com facilidade.


Combinação de cores

A importância das tonalidades para todos os ambiente está relacionada à criação da identidade visual. Em um estilo mais clean, os tons claros e pastel são bastante indicados. Para um décor mais intimista, gosto muito da composição entre cores neutras e quentes. Já para projetos com uma pegada mais industrial, a paleta segue com tons mais frios e acinzentados, enquanto que em espaços mais descontraídos, seguimos com a liberdade de inserir pitadas de cores, que são essenciais.

As cores dos tecidos devem fazer parte da paleta escolhida para a decoração da casa, o que facilita as combinações. E fica coerente e harmônica!



Estampas

A mistura de estampas é permitida, desde que conversem entre si dentro dos quesitos de cores, padronagens e estilo. Para não acontecer erros, o caminho é determinar um padrão principal e, a partir dele, completar com os demais.

Uma boa maneira de compor os desenhos é variar as escalas de cores de um mesmo padrão e também intercalar com tecidos lisos. As padronagens podem ser associadas entre si, como geométricas, orgânicas e florais, desde que sigam as mesmas cores e não haja excessos.


Texturas

Além das estampas, explorar as texturas dos tecidos é uma boa forma de complementar a composição. Tecidos como suede, algodão e veludo são mais aconchegantes e passam conforto. A seda, o couro e o linho apresentam um toque de sofisticação e elegância. E as opções com relevos, como as de pelo ou tricô, podem agregar um toque diferente ao ambiente, com muita originalidade.


Espero que tenha gostado das nossas dicas. Até o próximo post!

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo