Como escolher a cabeceira ideal para o dormitório?

Atualizado: 21 de out. de 2021

Oi, tudo bem?

Nosso blogpost de hoje é sobre um dos ambientes mais íntimos da casa. Ele mesmo, o quarto!

Entre tantos detalhes para renovar no espaço, você já pensou na cabeceira da cama? Com o crescimento dos modelos box, que é uma substituição para as camas tradicionais, a cabeceira deixou de ser tratada como coadjuvante para ser destaque nos projetos de interiores.

Ela exerce inúmeras funções, além de proporcionar conforto para o morador, que pode, por exemplo, apoiar-se para a leitura antes de dormir, a peça alçou o status de acabamento diferenciado para a parede que apoiará a cama.

E baseado em nossa experiência e projetos, vamos compartilhar dicas de como deixar o dormitório ainda mais aconchegante por meio da cabeceira. Confira:

Escolha ideal

O ponto de partida sempre está relacionado ao gosto e as expectativas dos moradores. Se a preferência for o conforto, as cabeceiras estofadas são as mais indicadas.

Mas, se o cliente deseja praticidade e uma estética arrojada, é possível trabalhar com alternativas, como a marcenaria e a serralheria em desenhos exclusivos.

Alguns exemplos:

Projeto Infinity Spaces | Foto Eder Bruscagin

A cabeceira estofada, que vai de uma parede a outra, se integra à parede revestida com espelho. Ela dá um melhor acabamento para a composição, a escolha criou a sensação de amplitude e reforçou o aconchego no ambiente.

Projeto Infinity Spaces | Foto Dotta

Neste quarto no litoral, a extensão da cabeceira de madeira também é divisória para o banheiro. Além de delimitar os espaços, os elementos vazados oferecem espaço para objetos de décor.

Principais modelos

Com muitos materiais disponíveis no mercado, é possível produzir cabeceiras dos mais diversos estilos. Geralmente, as versões estofadas são revestidas de tecidos – lisos, estampados e xadrez, entre outros, ou o couro, que nas versões legítimo, sintético e ecológico oferecem resistência. É um ótimo apoio para as costas e minimiza o aparecimento de manchas.

Mais um exemplo de composição:

Projeto Infinity Spaces | Foto Eder Bruscagin

Aqui, a cabeceira de couro foi combinada com o papel de parede escuro. A beleza do material é ressaltada pela iluminação – posicionada na mesinha lateral e na própria cabeceira.

Quando optar pela madeira, a versatilidade do material permite fluir a criatividade através do uso de acabamentos com a laca, deixando o ambiente moderno. A madeira de demolição já alcança um efeito rústico, a madeira entalhada permite criar os mais variados desenhos no material. E ela pode ser combinada como outros elementos como espelho e metal, por exemplo.

Projeto Infinity Spaces | Foto Eder Bruscagin

A imaginação pode fluir quando se trata de um quarto infantil. Aqui, a cabeceira trouxe uma proposta lúdica, com o formato de casinha e a cor favorita da menina, o rosa. Sua extensão, superior ao tamanho da cama, foi proposital: ao pintar o painel de MDF com tinta lousa, que tornou o canto ideal para as brincadeiras.

Em situações de verbas mais restritas, uma sugestão interessante é delimitar a área de descanso com adesivo, pintura ou papel de parede.

Altura e largura ideais

Não existe uma regra determinada para as medidas, mas sim alguns parâmetros devem ser considerados. No caso da largura, a cabeceira pode acompanhar a dimensão completa da parede ou ficar delimitada ao tamanho da cama. Não dá para ter uma cabeceira com uma cabeceira inferior à largura da cama.

Quando se trata de altura, não existe limitações, mas sempre recomendamos que a cabeceira ofereça o apoio completo para as costas quando o morador estiver sentado.

Esperamos que tenha gostado das dicas e ideias!

Até o próximo!

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo